Espaço

Informações

O que é GPU?

Conheça um pouco mais sobre o principal componente responsável pelo trabalho gráfico nos computadores.

Uma placa de vídeo é composta por diversos circuitos e elementos eletrônicos, porém seu papel mais importante é o de comportar um processador dedicado especialmente para a renderização de gráficos em tempo real. Este tipo de processador é chamado de Graphics Processing Unit, também conhecido como GPU.

O que é GPU?GPU exposta em uma placa de vídeo (Fonte da imagem: Divulgação/BuyNewComputer)

Normalmente, a GPU fica localizada na parte mais central de uma placa de vídeo, rodeada pelos demais componentes do dispositivo. Como estes processadores geram muito calor enquanto trabalham, quase todos as fabricantes incluem um conjunto de dissipador e ventoinha acoplado ao chip para mantê-lo na temperatura ideal.

GPUs também podem ser encontradas em placas-mãe, permitindo que o PC seja plugado ao monitor sem a necessidade de uma placa de vídeo à parte. Essa configuração costuma ser chamada de “GPU onboard”. Geralmente, modelos desse tipo são capazes de suprir apenas as necessidades básicas de vídeo, e uma placa “offboard” acaba sendo necessária para os jogos mais pesados.

O que é GPU?Asus MARS II, com duas GPUs NVIDIA GTX580 (Fonte da imagem: Asus)

Atualmente, as três maiores fabricantes de GPUs são a Intel, a NVIDIA e a ATI. A Intel, porém, produz processadores gráficos mais direcionados para aplicações de baixo custo integradas à placas-mãe, enquanto que a NVIDIA e a ATI atuam nos demais segmentos.

Quase sempre, o responsável por projetar, fabricar e unir os demais componentes de uma placa de vídeo à GPU costuma ser outra empresa que atua em parceria com os fabricantes dos chips. XFX, Asus, EVGA, MSI, Sapphire e Zotac estão entre as maiores montadoras de placas de vídeo da atualidade.

O que é GPU?GPU de um Xbox 360 (Fonte da imagem: Reprodução/XboxScene)

Processadores gráficos dedicados também estão presentes em dispositivos portáteis, sendo que a NVIDIA tem sido a principal atuante nesse ramo. Consoles de video game modernos também costumam confiar em uma GPU para a renderização dos gráficos dos jogos, incluindo o PlayStation 3, o Xbox 360 e o Nintendo Wii.

29/10/2013 Posted by | Espaço, Informações | Deixe um comentário

PS4 no Brasil: mais caro que uma Tekpix [infográfico]

Confira tudo o que poderia ser comprado com o dinheiro necessário para adquirir um PlayStation 4 aqui no Brasil

O PlayStation 4 finalmente teve seu preço anunciado para o mercado brasileiro. E, ao contrário do que os fãs dos consoles da Sony esperavam, ele não chegará às prateleiras com preços muito atraentes. Apesar de o valor nos Estados Unidos ser de US$ 400, aqui no Brasil ele vai custar R$ 4.000 — se ignorássemos todas as taxas envolvidas, poderíamos dizer que a cotação do Dólar PS4 é de R$ 10, enquanto a “cotação gamer” do Xbox One é de US$ 1 para US$ 4,40.

Enquanto o Xbox One será vendido por cerca de R$ 2.200, o PlayStation 4 é 1,8 vezes mais caro do que ele. Mas o que será que deixou o console japonês como um valor tão mais alto do que o do concorrente? As respostas poderiam estar nos impostos, nos custos de importação e também no valor agregado à marca fabricante. Mas isso só resolve uma parte dos problemas. Confira conosco…

Quanto realmente custa um PS4?

Considerando o valor de US$ 400 e a cotação de R$ 2,18 para cada dólar, chegamos ao valor de R$ 872. Depois disso, é claro que temos os valores de importação, taxas embutidas e impostos de circulação de mercadoria e incidência sobre valores importados. São essas taxas: II, IPI, PIS e COFINS, resultando em um valor de R$ 1.759,69. Sobre esse novo valor ainda é aplicado o ICMS (valor que varia de estado para estado), que levará o preço para R$ 2.145,96, em média.

PS4 no Brasil: mais caro que uma Tekpix [infográfico] (Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

Ainda podemos aplicar um valor de R$ 200 para outras despesas do serviço aduaneiro, como despachos e transporte dentro do Brasil. Logo, chegamos a um total de R$ 2.345,96. Os outros R$ 1.650 são referentes ao valor da marca Sony no Brasil e também aos lucros da empresa. E, como já fizemos em outras ocasiões, decidimos criar um guia de alternativas para o investimento do valor de um PS4.

O que posso comprar com esse dinheiro?

Fizemos um levantamento de diversos produtos que podem ser comprados com o valor cobrado por uma unidade do PlayStation 4. A variedade é bem grande e em muitos casos podem ser adquiridas mais de uma unidade do mesmo eletrônico. Encomendando o PS4 diretamente da Amazon inglesa (já com todos os impostos), é possível trazer dois consoles para o Brasil.

PS4 no Brasil: mais caro que uma Tekpix [infográfico] (Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

Da mesma loja e com a mesma legalidade, é possível também trazer um PS4 e um Xbox One com os R$ 4 mil. E a conta fica muito mais interessante quando colocamos outros aparelhos eletrônicos na conta: um Samsung Galaxy S4 e um iPad 4 cabem na mesma soma. Se voltarmos à geração anterior de video games, é possível comprar um PS3 e mais 16 jogos com preços de lançamento.

Para quem não gosta de ter aparelhos repetidos, uma grande solução é adquirir uma televisão LED 3D Smart da Samsung de 46 polegadas, que pode ser encontrada pelos mesmos R$ 4 mil. Por um pouco menos ainda é possível comprar uma câmera digital TekPix. Para os apaixonados pelo Xbox: um console Xbox One e 10 jogos novos em mídias físicas podem ser comprados pelo valor.

O valor da diferença

Como já dissemos anteriormente, existe uma quantia de R$ 1.720 referente à diferença entre o preço do PS4 no Brasil e o mesmo aparelho comprado e importado dos Estados Unidos — com todas as taxas de importação, não sendo um valor referente à aquisição dele pessoalmente nos EUA. E o que seria possível fazer com esse dinheiro? As respostas também são variadas.

PS4 no Brasil: mais caro que uma Tekpix [infográfico] (Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

É possível comprar um televisor de boa qualidade com o valor, mas, caso você já tenha uma, há outras aquisições que podem ser feitas. Você pode adquirir uma câmera PS Eye, três controles DualShock e mais quatro ou cinco jogos (dependendo do valor deles) para se divertir com seus amigos. Isso considerando os preços no Brasil, então a quantidade de itens pode aumentar um pouco se pensarmos nos valores norte-americanos.

Reação bem-humorada

Apesar de alguns protestos por parte dos consumidores, boa parte das pessoas reagiu de forma bem-humorada ao anúncio do valor do PlayStation 4 aqui no Brasil. Algumas lojas virtuais como Ponto Frio e Walmart utilizaram seus perfis no Twitter para tirar sarro da situação e algumas páginas na internet foram criadas especialmente para satirizar a situação.

Um ótimo exemplo é o Tumblr “Troco PS4 Por”, que mostra uma grande, e inusitada, quantidade de itens que poderia ser comprada no lugar do PlayStation 4 pelo mesmo valor. A imprensa internacional também deu destaque ao preço do video game brasileiro e mostrou que ele é o mais caro de todo o mundo — mas esse posto o consumidor não queria ter, não é mesmo?

Teorias da conspiração

Um vídeo do vlogger Carlinhos Troll traz uma “teoria conspiratória” sobre o preço do PS4 brasileiro. Segundo ele, o valor absurdo é fruto de uma manobra da Sony (que não conseguiu incentivos fiscais do governo brasileiro) para fazer com que os consumidores comprem fora do país, em represália às decisões brasileiras. Vale dizer que essa impressão é do criador do vídeo e não reflete às opiniões do Tecmundo.

Continue lendo

17/10/2013 Posted by | Espaço | Deixe um comentário

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celular

Conheça a nova tecnologia de foco automático para celular que é muito superior à técnica atual

 

O Nexus 5, próximo smartphone da parceria entre Google e LG, tem previsão de anúncio para 17 de outubro de 2013. Mas o aparelho em si não deve ser o único centro das atenções: os amantes da fotografia, especialmente de retratos feitos por dispositivos móveis, aguardam a demonstração de uma tecnologiaque vai estrear em celulares e deve aumentar bastante a qualidade das imagens capturadas.

Trata-se de um sistema de movimento baseado em MEMS (Micro Electro Mechanical Systems) de silício. Esse mecanismo de resposta a comandos eletrônicos é veloz e preciso, garantindo que a pessoa ou o objeto que você pretende focalizar seja rapidamente colocado em primeiro plano. Componentes como microfones, giroscópios e outros sensores de gadgets já são baseados em outros MEMS.

A tecnologia já existe em câmeras digitais compactas, mas diminuir o tamanho dos componentes e adequá-los a um smartphone é o desafio que acaba de ser superado. Abaixo, você conhece o funcionamento dessa técnica e como ela vai deixar suas fotos ainda mais profissionais.

Foco automático pré-MEMS

Segundo a Digital Optics, que desenvolve a tecnologia do MEMS para a fotografia, apenas 40% das câmeras de smartphones usam o recurso do autofoco. Mas essa técnica já atingiu seu limite – e, quando isso acontece, um novo método deve ser empregado. Para você ter uma ideia, a tecnologia atual de foco existe desde 1874, quando o primeiro modelo desse sistema foi patenteado.

A tal tecnologia jurássica é a de motores de bobina de voz (voice coil motor, ou VCM, na sigla original). Esse método usa atração e repulsão entre ímãs para gerar som a partir de eletricidade. O campo magnético gerado por esse processo movimenta a lente para uma posição na vertical diferente do sensor, enquanto molas fazem o papel de força compensadora.

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celularO sistema antigo e atual de VCM (Fonte da imagem: Divulgação/MEMS Cam)

De forma geral, esses motores movimentam o módulo da lente junto com o eixo óptico da câmera, garantindo que o equipamento mexa-se para os lados e acompanhe o “alvo” do retrato. Além disso, um algoritmo de foco automático calcula a posição do objeto que será colocado em primeiro plano (isso nas máquinas digitais).

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celularA diferença de tamanho e número de peças entre VCM (esquerda) e MEMS (direita).
(Fonte da imagem: Divulgação/MEMS Cam)

Apesar de integrar os smartphones atuais e garantir certa qualidade, esse componente é caro, maior e de menor desempenho, além de consumir mais energia e ter uma taxa relativamente alta de erros por conta da demora no processo de autofoco. O MEMS supera todos esses obstáculos, garantindo que o protagonista da sua fotografia, mesmo longe ou em um cenário cheio de outros elementos, fique sempre em destaque.

Por dentro do MEMS Cam

Basicamente, no autofoco, o sensor da câmera captura a imagem e o processador analisa o retrato para avaliar a estrutura da foto. Para que isso aconteça, os algoritmos do autofoco comandam os circuitos do motor atuador (VCM ou MEMS) de forma que eles movam a lente para outra posição.

Esse ciclo é repetido até que a posição mais adequada seja determinada – e, depois que isso acontece, as peças devem voltar à posição original. Em captura de vídeo, esse algoritmo fica “ligado” o tempo inteiro.

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celularO motor atuador e a peça de revestimento. (Fonte da imagem: Divulgação/MEMS Cam)

Enquanto o atuador VCM é formado por uma série de partes, algumas mecânicas e outras elétricas, todas separadas umas das outras, o componente de autofoco em MEMS une apenas dois componentes: um motor atuador de silício com tudo integrado e o revestimento da peça.

Esse motor atuador MEMS é formado por três peças. Uma plataforma de silício; condutores em forma de pente que ficam entrelaçados, mas sem tocarem um no outro; e molas para compensar a força. A lente fica no centro da primeira peça e move-se pelo eixo óptico quando cargas eletroestáticas produzem movimentos verticais nos “pentes”.

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celularA plataforma de silício, a mola e os motores em forma de pente, respectivamente. (Fonte da imagem: )

Por ser tão compacto e preciso, o MEMS move apenas uma das lentes da câmera no processo de autofoco, enquanto as demais permanecem em uma posição otimizada. Desse modo, a qualidade do retrato não se perde, e o resultado final é tão bom quanto uma imagem tirada com o foco manual.

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celularO motor do MEMS Cam montado: a lente vai no centro. (Fonte da imagem: Divulgação/MEMS Cam)

Além disso, os movimentos mecânicos são definidos por litografia, usando modernas técnicas de gravação em wafer, assim como em semicondutores. Ao todo, a peça tem medidas de 7 x 7 x 0,15 milímetros, e faz com que a câmera inteira seja a menor possível (8,5 x 8,5 x 6 mm para um sensor de 5 MP).

Por que mudar?

MEMS Cam: a tecnologia de câmera que pode revolucionar fotos pelo celularUm teste de desempenho entre câmeras com MEMS e VCM: o tempo do autofoco é muito menos.
(Fonte da imagem: Divulgação/MEMS Cam)

Smartphones mais modernos possuem profundidade de campo rasa e distância hiperfocal mais longa, exigindo um autofoco mais preciso e cada vez mais necessário. Levando isso em conta, a Digital Optics aponta uma série de vantagens ao substituir um módulo VCM por uma câmera com autofoco por MEMS. Confira um resumo:

  • O algoritmo é mais complexo e usa a detecção de rosto para imediatamente calcular a distância necessária para o autofoco;
  • O autofoco ocorre duas vezes mais rápido e com um taxa menor de erro;
  • Uma máquina com MEMS Cam permite a captura rápida de retratos em sequência com diferentes focalizações;
  • As câmeras de tecnologia MEMS são muito menores e ocupam pouco espaço interno possível dentro do aparelho;
  • O uso do silício faz com que o equipamento suporte até 10 milhões de ciclos, quase quatro vezes mais que a durabilidade do metal que compõe o VCM;
  • A temperatura do smartphone sobe muito menos do que durante o uso de uma câmera com VCM. A economia de bateria é maior.

Com a popularização da MEMS Cam em smartphones, assim como melhores sensores, lentes e aplicativos, cada vez mais os celulares e tablets ganham espaço na fotografia, que hoje não é só composta de máquinas profissionais imensas e digitais compactas.

16/10/2013 Posted by | Espaço | Deixe um comentário

   

%d blogueiros gostam disto: